ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Ducto venoso no primeiro trimestre: contribuição para a triagem de cromossômicas, defeitos cardíacos e complicações gêmeas monocoriônicos.

Ducto venoso no primeiro trimestre: contribuição para a triagem de cromossômicas, defeitos cardíacos e complicações gêmeas monocoriônicos.



No primeiro trimestre do ducto venoso pode ser facilmente identificado com Doppler colorido e um ducto venoso onda pode ser obtido por Doppler pulsado. Às 11-13 semanas, a prevalência de onda a-anormal no ducto venoso é inversamente proporcional à CCN fetal e soro materno gravidez plasma-associated protein-A (PAPP-A), aumenta com a espessura da translucência da nuca fetal (NT) e é mais comum em mulheres de origem racial preto e em fetos com cariótipo anormal ou defeitos cardíacos. Fluxo no ducto venoso fornece uma contribuição independente na predição de anomalias cromossómicas, quando combinado com NT e os marcadores de soro materno de PAPP-A e beta-hCG livre, aumentar a taxa de detecção de 96%, a uma taxa de falsos positivos de 2,6%. Anormal fluxo no ducto venoso, aumenta o risco de defeitos cardíacos em fetos com TN acima do percentil 95, e pode aumentar o risco de fetos com TN normal. Em gestações gemelares, anormal fluxo no ducto venoso está associada a anormalidades cromossômicas e defeitos cardíacos. Em gémeos monocoriônicas, fluxo anormal no ducto venoso em pelo menos um dos fetos aumenta o risco de desenvolvimento de duplo-duplo para a síndrome da transfusão.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=).+%22Ductus+venosus+in+the+first+trimester%3A+contribution+to+screening+of+chromosomal%2C+cardiac+defects+and+monochorionic+twin+complications.%22

VEJA TAMBÉM:

  • Triagem para aneuploidias por idade materna, translucência nucal e bioquímica sérica materna no 11-13 +6 semanas de gestação.
  • One-stop clínica para avaliação do risco de trissomia do cromossomo 21 em 11-14 semanas: um estudo prospectivo de 15 030 gestações.


  • Texto Original



    In the first trimester the ductus venosus can be easily identified with color Doppler and a ductus venosus waveform can be obtained by pulsed Doppler. At 11-13 weeks the prevalence of abnormal a-wave in the ductus venosus is inversely related to fetal crown-rump length and maternal serum pregnancy-associated plasma protein-A (PAPP-A), increases with fetal nuchal translucency (NT) thickness and is more common in women of Black racial origin and in fetuses with abnormal karyotype or cardiac defects. Ductus venosus flow provides an independent contribution in the prediction of chromosomal abnormalities when combined with NT and the maternal serum markers of PAPP-A and free beta-hCG, increasing the detection rate to 96% at a false-positive rate of 2.6%. Abnormal ductus venosus flow increases the risk of cardiac defects in fetuses with NT above the 95th centile, and it may increase the risk in fetuses with normal NT. In twin pregnancies, abnormal ductus venosus flow is associated with chromosomal abnormalities and cardiac defects. In monochorionic twins, abnormal flow in the ductus venosus in at least 1 of the fetuses increases the risk of developing twin-to-twin transfusion syndrome.

    VEJA TAMBÉM:

  • No primeiro trimestre de triagem para trissomia 21 utilizando alfa-fetoproteína
  • Duração do persistente fluxo anormal do ducto venoso e seu impacto sobre o resultado perinatal em restrição do crescimento fetal.