ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - O impacto do erro de medição do comprimento cabeça-nádega em síndrome de Down triagem combinado: um estudo de simulação.

O impacto do erro de medição do comprimento cabeça-nádega em síndrome de Down triagem combinado: um estudo de simulação.



OBJETIVO:
Para avaliar o impacto de um erro de 5 mm na medição do comprimento cabeça-nádega (CRL) em uma mulher passando por ultra-som e exames de bioquímica sequencial combinado para a síndrome de Down.
MÉTODOS:
Com base em algoritmos de cálculo de risco existentes, que caso o simulado de um 35-year-old mulher passando por triagem combinado com base em translucência nucal (TN) medição e início no segundo trimestre marcadores séricos maternos (gonadotrofina coriônica humana (hCG) e alfa-fetoproteína (AFP) expressas em múltiplos da mediana (MoM)). Dois erros de medição foram consideradas (+ ou - 5 mm), durante quatro CRLs diferentes (50, 60, 70 e 80 mm), com cinco medições diferentes NT (mm 1, 1,5, 2, 2,5 e 3) em um doente submetido a bioquímica testando a 14 semanas de gestação + 4, 15, 16, 17 ou 18 '. Quatro valores diferentes para cada marcador sérico materno foram testados (1, 1,5, 2 e 2,5 MoM para hCG, e 0,5, 0,8, 1 e 1,5 MoM para a AFP), que conduz a um total de 3.200 simulações do impacto dos erros de medição. Em todos os casos, a relação entre o risco avaliada com ou sem o erro de medição foi calculada (medida da relação risco de erro relacionado (MERR)).
RESULTADOS:
Mais de 3200 casos simulados, MERR variando de 0,53 a 2,14. Em 586 simulações (18,3%), foi <0,66 ou> 1,33. Com base em um risco de corte de 1/300, as mulheres foram classificadas incorrectamente simulações em 112 (3,5%). Este seria até 33 (27,5%) dos 120 simulações em mulheres com risco "borderline", com 1,5 MoM para hCG e 0,5 MoM para a AFP, NT e medição de 1 ou 2 mm.
CONCLUSÃO:
Triagem síndrome de Down podem ser muito sensíveis a erros de medição em CRL. Controle de qualidade de medição CRL deve ser realizado em conjunto com o controle de qualidade da medida da TN, a fim de oferecer o mais alto padrão de atendimento.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/?term=%22The+impact+of+crown-rump+length+measurement+error+on+combined+Down+syndrome+screening%3A+a+simulation+study.%22

VEJA TAMBÉM:

  • A triagem para trissomia 21 por translucência nucal e idade materna: um projeto multicêntrico na Alemanha, Áustria e Suíça.
  • Triagem para aneuploidias por idade materna, translucência nucal e bioquímica sérica materna no 11-13 +6 semanas de gestação.


  • Texto Original



    OBJECTIVE:
    To evaluate the impact of a 5-mm error in the measurement of crown-rump length (CRL) in a woman undergoing ultrasound and biochemistry sequential combined screening for Down syndrome.
    METHODS:
    Based on existing risk calculation algorithms, we simulated the case of a 35-year-old-woman undergoing combined screening based on nuchal translucency (NT) measurement and early second-trimester maternal serum markers (human chorionic gonadotropin (hCG) and alpha-fetoprotein (AFP) expressed as multiples of the median (MoM)). Two measurement errors were considered (+ or - 5 mm), for four different CRLs (50, 60, 70 and 80 mm), with five different NT measurements (1, 1.5, 2, 2.5 and 3 mm) in a patient undergoing biochemistry testing at 14 + 4, 15, 16, 17 or 18 weeks' gestation. Four different values for each maternal serum marker were tested (1, 1.5, 2 and 2.5 MoM for hCG, and 0.5, 0.8, 1 and 1.5 MoM for AFP), leading to a total of 3200 simulations of the impact of measurement error. In all cases the ratio between the risk as assessed with or without the measurement error was calculated (measurement error-related risk ratio (MERR)).
    RESULTS:
    Over 3200 simulated cases, MERR ranged from 0.53 to 2.14. In 586 simulations (18.3%), it was < 0.66 or > 1.33. Based on a risk cut-off of 1/300, women would have been misclassified in 112 simulations (3.5%). This would go up to 33 (27.5%) out of the 120 simulations in women with 'borderline' risk, with 1.5 MoM for hCG and 0.5 MoM for AFP, and NT measurement of 1 or 2mm.
    CONCLUSION:
    Down syndrome screening may be highly sensitive to measurement errors in CRL. Quality control of CRL measurement should be performed together with quality control of NT measurement in order to provide the highest standard of care.


    VEJA TAMBÉM:

  • Níveis médios mais elevados de beta-hCG livre e PAPP-A no primeiro trimestre da gravidez em um grupo étnico chinês. Implicação para o primeiro trimestre de triagem combinado para a síndrome de Down na população chinesa.
  • Tomografia de coerência óptica