ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Será que a influência de pré-eclampsia função cardiovascular fetal na restrição de crescimento intrauterino precoce?

Será que a influência de pré-eclampsia função cardiovascular fetal na restrição de crescimento intrauterino precoce?



OBJETIVOS:
Aumentar a evidência mostra que a restrição de crescimento intra-uterino (RCIU) está associada com disfunção cardíaca fetal. RCIU mais grupo de estudos com e sem pré-eclâmpsia (PE) completamente. Nosso objetivo foi avaliar se a associação com o PE tem qualquer impacto sobre a função cardíaca em fetos com RCIU
MÉTODOS:
Trinta e um casos RCIU normotensos e 31 casos RCIU com pré-eclâmpsia (PE + CIUR) abaixo de 34 semanas de gestação foram incluídos. RCIU foi definido como um peso de nascimento abaixo do percentil 10 (th), juntamente com um índice de pulsatilidade da artéria umbilical acima de 2 SD. Função cardíaca fetal foi avaliada pela medição do índice de pulsatilidade do ducto venoso, índice de desempenho modificada do miocárdio, o fluxo de sangue da aorta istmo, E / A rácios e débito cardíaco. A presença de disfunção cardíaca fetal também foi avaliada pela medição do sangue do cordão B-peptídeo natriurético tipo (BNP) coletados no nascimento. Dados ecocardiográficos foram comparados com os de 80 a idade apropriada para-gestacional prazo (AGA) fetos de mães normotensas. Níveis de sangue do cordão umbilical de BNP foram comparados com os de 40 casos AGA que entregou prematuro.
RESULTADOS:
Todos os casos de RCIU (com ou sem PE) mostrou sinais ecocardiográficos e bioquímicos de disfunção cardíaca em comparação com os casos AGA. No entanto, não foram observadas diferenças entre RCIU e casos de PE + RCIU quer em ecocardiográfico ou em parâmetros bioquímicos. Casos RCIU com ou sem PE teve semelhantes resultados perinatais.
CONCLUSÕES:
Fetos com RCIU mostrou sinais ecocardiográficos e bioquímicos de disfunção cardíaca. A pré-eclâmpsia, por si só não influencia a função cardíaca em fetos com RCIU.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed?term=Does%20pre-eclampsia%20influence%20fetal%20cardiovascular%20function%20in%20early-onset%20intrauterine%20growth%20restriction%3F

VEJA TAMBÉM:

  • Translucência nucal e do comprimento cabeça-nádega em gestações gemelares com fetos cromossomicamente anormais.
  • Prevalência de defeitos do tubo neural em 20 regiões da Europa e do impacto do diagnóstico pré-natal, 1980-1986


  • Texto Original



    OBJECTIVES:
    Increasing evidence shows that intrauterine growth restriction (IUGR) is associated with fetal cardiac dysfunction. Most studies group IUGR with and without pre-eclampsia (PE) altogether. Our objective was to evaluate whether the association with PE has any impact on cardiac function in IUGR fetuses
    METHODS:
    Thirty-one normotensive IUGR cases and 31 IUGR cases with pre-eclampsia (PE + IUGR) below 34 weeks of gestation were included. IUGR was defined as a birth weight below the 10(th) centile together with an umbilical artery pulsatility index above 2 SD. Fetal cardiac function was assessed by measuring ductus venosus pulsatility index, modified myocardial performance index, aortic isthmus blood flow, E/A ratios and cardiac output. The presence of fetal cardiac dysfunction was also assessed by measuring cord blood B-type natriuretic peptide (BNP) levels collected at birth. Echocardiographic data were compared with those in 80 term appropriate-for-gestational age (AGA) fetuses from normotensive mothers. Cord blood BNP levels were compared with those in 40 AGA cases that delivered preterm.
    RESULTS:
    All IUGR cases (with or without PE) showed echocardiographic and biochemical signs of cardiac dysfunction compared with AGA cases. However, no differences were observed between IUGR and PE + IUGR cases either in echocardiographic or in biochemical parameters. IUGR cases with or without PE had similar perinatal results.
    CONCLUSIONS:
    IUGR fetuses showed echocardiographic and biochemical signs of cardiac dysfunction. Pre-eclampsia per se does not influence cardiac function in IUGR fetuses.


    VEJA TAMBÉM:

  • Voltando a pirâmide de pré-natal.
  • Perturbação da hematopoiese fetal em um modelo do rato de doença mieloproliferativa transitória da Síndrome de Down.