ARTIGOS

Você está em - Home - Artigos - Primeiro trimestre soro materno livre gonadotrofina coriônica humana beta e gravidez associado às proteínas plasmáticas A como preditores de complicações na gravidez.

Primeiro trimestre soro materno livre gonadotrofina coriônica humana beta e gravidez associado às proteínas plasmáticas A como preditores de complicações na gravidez.



Para examinar o valor do primeiro trimestre soro materno livre beta gonadotrofina coriônica humana (beta hCG) e gravidez associado às proteínas plasmáticas (PAPP-A) como preditores de complicações na gravidez.
Estudo de rastreamento.
Clínicas pré-natais.
Gestações simples a 10-14 semanas de gestação.
Beta soro materno de hCG e PAPP-A foram medidas em 10-14 semanas de gestação em 5.584 gestações únicas. Nas gestações 5.297 (94,9%) com completo acompanhamento beta hCG livre e PAPP-A foram comparados entre aqueles com resultado normal e que resultam em aborto espontâneo, parto prematuro, hipertensão gestacional induzido ou restrição do crescimento fetal e naqueles com pré-existente ou diabetes gestacional.
Soro materno PAPP-A e beta hCG aumento diminuiu com a idade gestacional. O múltiplo da mediana soro materno PAPP-A. Foi significativamente menor naqueles gestações, resultando em aborto espontâneo, restrição induzida hipertensão crescimento, a gravidez e em pessoas com diabetes mellitus pré-existente ou gestacional, mas não naqueles complicado por parto prematuro espontâneo O nível estava Baixa soro materno PAPP-A ou beta hCG em 10-14 semanas de gestação estão associados com o desenvolvimento subseqüente de complicações na gravidez.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11028579

VEJA TAMBÉM:

  • São marcadores do primeiro trimestre de triagem alterados em tecnologias assistidas gestações reprodutivos?
  • Uma clínica de parada para avaliação do risco de anomalias fetais: um relatório do primeiro ano do rastreio prospectivo para anomalias cromossômicas no primeiro trimestre.


  • Texto Original



    To examine the value of first trimester maternal serum free beta human chorionic gonadotrophin (beta hCG) and pregnancy associated plasma protein A (PAPP-A) as predictors of pregnancy complications.
    Screening study.
    Antenatal clinics.
    Singleton pregnancies at 10-14 weeks of gestation.
    Maternal serum free beta hCG and PAPP-A were measured at 10-14 weeks of gestation in 5,584 singleton pregnancies. In the 5,297 (94.9%) pregnancies with complete follow up free beta hCG and PAPP-A were compared between those with normal outcome and those resulting in miscarriage, spontaneous preterm delivery, pregnancy induced hypertension or fetal growth restriction and in those with pre-existing or gestational diabetes.
    Maternal serum PAPP-A increased and beta hCG decreased with gestation. The multiple of median maternal serum PAPP-A was significantly lower in those pregnancies resulting in miscarriage, pregnancy induced hypertension, growth restriction and in those with pre-existing or gestational diabetes mellitus, but not in those complicated by spontaneous preterm delivery. The level was < 10th centile of the reference range in about 20% of the pregnancies that subsequently resulted in miscarriage or developed pregnancy induced hypertension or growth restriction, and in 27% of those that developed gestational diabetes. Maternal serum free beta hCG was < 10th centile of the reference range in about 15% of the pregnancies that subsequently resulted in miscarriage or developed pregnancy induced hypertension or growth restriction, and in 20% of those that developed gestational diabetes.
    Low maternal serum PAPP-A or beta hCG at 10-14 weeks of gestation are associated with subsequent development of pregnancy complications.


    VEJA TAMBÉM:

  • Ângulo frontomaxillary facial em fetos com trissomia do cromossomo 13 em 11 + 0 a 13 + 6 semanas.
  • Diferença Clínica e de Biomarcadores na Eclampsia de Preparto e Pós-Parto